Hérnia de disco: 2 métodos pouco conhecidos para se tratar em casa

Hérnia de disco: 2 métodos pouco conhecidos para se tratar em casa

A hérnia de disco é campeã de queixas no mundo todo. Segundo IBGE, só aqui, já são 5,4 milhões de brasileiros atingidos.

Como uma profissional da saúde é estarrecedor testemunhar a quantidade de pessoas que simplesmente escolhem sofrer com dor enquanto existem tantos caminhos fáceis para a reabilitação.

Pensando sobre essa urgência causada puramente por falta de informação eu escrevi “Hérnia de disco: 2 métodos pouco conhecidos para se tratar em casa”!

Para entender isso melhor, é só continuar essa leitura.

Explicando a hérnia de disco

4-osteoartrose-com-discopatia

Antes de mais nada, você saberia me dizer como uma hérnia de disco começa?

Essa informação pode parecer descartável para alguns, mas ela explica muito sobre como a dor de uma hérnia pode ser insuportável.

Você provavelmente está lendo essa matéria porque não aguenta mais sentir dor não é mesmo?

A maioria das pessoas que sofrem com hérnias de discos reclamam de dores que irradiam da coluna para outras partes do corpo, como o bumbum e as pernas por exemplo.

Isso acontece justamente por causa da origem de uma hérnia de disco, que é na coluna vertebral.

A coluna vertebral e a origem da hérnia de disco

1-A-coluna-vertebral-e-a-origem-da-hérnia-de-disco

Um caso de hérnia tem origem na nossa coluna, onde os discos estão localizados

A coluna é composta por 33 vértebras separadas por esses discos intervertebrais.

Você pode imaginar as vértebras como pequenas pedras empilhadas, elas é que dão sustento para nossa coluna. Enquanto os discos são como almofadinhas para amortecer os impactos que nossa estrutura sofre.

Essa pressão pode acontecer por causa de movimentos bruscos, ou por esforços excessivos que fazemos como carregar objetos pesados por exemplo. Assim como pela simples pressão que a gravidade faz para nos manter no chão.

As vértebras da nossa coluna, estão agrupadas de acordo com a região em que estão. Distribuídas entre a coluna cervical (região do pescoço), a coluna torácica (onde ficam as costelas), a coluna lombar (região da cintura) e a coluna sacral (bumbum).

Nem todo mundo sabe que as vértebras da coluna vão desde o pescoço até o bumbum. Mas o nosso foco aqui é no que fica entre elas, os discos.

Como eu disse anteriormente os discos são amortecedores para os impactos nas vértebras.

Eles são geralmente pequenas bolsinhas cheias de uma espécie de gel no seu núcleo, esse gel é revestido com uma capa resistente.

Em um caso de hérnia de disco, esses impactos que os pequenos discos seguram são geralmente onde o problema acontece.

O que é uma hérnia de disco?

“Água mole e pedra dura, tanto bate até que fura” já ouviu essa expressão? nesse caso é quase o que acontece.

Quando esse nosso disco amortecedor sai do lugar ele comprime as raízes nervosas. E qual é o problema com isso físio?

Sendo breve, posso dizer que nossos nervos são feitos de várias raízes e elas são como fios de alta tensão.

Já aconteceu com você de bater o cotovelo em algum lugar? Algumas vezes, dependo do modo como a batida aconteceu, sentimos uma dorzinha chata que chamamos de choquinho, não é?

Isso acontece porque a batida acertou algum nervo no seu cotovelo. Uma simples batidinha no nervo e pronto. Uma dorzinha chata e que demora a passar.

Agora imagine como seria se alguém usasse um pequeno alicate para apertar seu nervo! Seria uma dor absurda, não é?

Essa ilustração mostra quase exatamente o que uma hérnia de disco pode causar.

O que acontece é que com essa pressão, os discos saem do lugar e pressionam as raízes nervosa.

Quando o discos, nossas almofadinhas, saem do lugar, uma parte da capinha delas são prolongas.

E justamente essa parte pressiona o nervo, para isso damos o nome de protrusão discal.

O neurocirurgião Marcelo Amato, escreve no seu site que a protrusão é quanto o anel fibroso (capinha) se prolongou. Quando as capinhas estão para fora da vértebra, essa saliência é chamada de hérnia.

O estado grave de uma hérnia de disco é quando o anel fibroso (capa da almofada), estoura e aquele núcleo gelatinoso que comentei se desloca. Nesse caso entendemos que há uma extrusão discal, ou seja, uma hérnia de disco grave.

Onde dói a hérnia de disco?

 2-Onde-dói-a-hérnia-de-disco

Como eu disse as hérnias de disco podem surgir por todas as vértebras da coluna. Por isso os locais de dor mudam de acordo com a região onde a hérnia está.

Os sintomas de quando a hérnia de disco está na coluna cervical (pescoço), são na maioria das vezes a dor no local que irradia para o braço com formigamento e dormência até as pontas dos dedos.

A hérnia na cervical pode ser causada por traumas, como acidentes de carros, quedas de grandes alturas. Também por lesões fruto de movimentos repetitivos que envolvam o pescoço.

O fumo (tabagismo) e a falta de exercícios também podem desencadear uma hérnia de disco.

Na coluna lombar (acima do bumbum) o principal sintoma é dor na região, que irradia para o bumbum e para a perna chegando até o pé. Acompanhada de dormência, formigamento e até mesmo o choquinho sobre o qual falei.

A maioria das hérnias de disco são na lombar. Porque na lombar estão as vértebras que liberam as raízes nervosas que dão origem ao nervo ciático.

Sintomas de hérnia de disco

É muito comum ouvir alguém falando que está com o ciático atacado não é mesmo?

Isso é porque o nervo ciático se estende desde uma parte da coluna lombar até a coluna sacral lá no bumbum. Se qualquer uma das 5 vértebras pelas quais ele passa estiver com hérnia, ele vai ser apertado e vai doer bastante.

O nervo ciático é o maior nervo do corpo humano e controla as juntas do quadril, dos joelhos e dos tornozelos, além dos músculos das pernas e dos pés.

Portanto, quando alguém é diagnosticado com hérnia de disco nas regiões da coluna lombar e sacral, haverá o comprometimento do nervo ciático.

Por isso os pacientes sentem: dor nas costas que irradia para o quadril, coxa, perna, calcanhares até os dedos dos pés, fraqueza dos músculos, dificuldade de tirar o pé do chão deixando os calcanhares, além da dormência e choques. Nos casos mais graves pode haver dificuldade para fazer xixi ou evacuar.

Se você espirra ou tosse a dor aumenta? Também é sinal de que a hérnia está comprimindo o nervo ciático.

A hérnia e suas complicações

Uma hérnia de disco representa mais do que só isso que te expliquei. É como sempre digo por aqui, nosso corpo é integrado. Isso significa que nada acontece por acaso dentro da gente.

Um descuido leva a outro que leva a outro e por aí vai.

O que osteoartrite tem a ver com hérnia de disco?

Tem mais de uma razão para você estar enfrentando uma hérnia. A osteoartrite é uma delas.

A osteoartrite é o mesmo que a conhecida artrose. O que ela faz é desgastar as nossas almofadinhas (discos). Os discos ficam cada vez mais estreitos pelo desgaste e com isso os espaços entre uma vértebra e outra diminuem.

Na osteoartrite ocorre uma inflamação nas juntas e o sistema que repara essa inflamação não consegue se restaurar.

Somados esses problemas, o espaço entre uma vértebra e outra diminui drasticamente. Esses espaços ajudam a dar estrutura para nossa coluna.

E numa tentativa desesperada de equilibrar nossa estrutura é que nascem os osteófitos que nada mais são do que os famosos bicos de papagaio.

Os bicos de papagaio e as hérnias de disco

radiografia de um bico de papagaio
Radiografia de um bico de papagaio.

Até aqui você já sabe que a hérnia de disco é quando o disco sai do seu lugar e começa a pinçar o nervo mais próximo. E que em alguns casos, como na osteoartrite esses discos diminuem de tamanho o que desestabiliza nossa estrutura.

Pois bem, o bico de papagaio é uma formação de ossos nas vértebras que servem para compensar o espaço perdido pelo que quer que tenha diminuído os espaços onde ficam os discos.

Isso é o corpo lutando para manter a estabilidade da coluna vertebral.

Os bicos de papagaio são conhecidos por esse nome por terem a forma de um bico de ave, o seu nome oficia, como comentei é osteofitose.

O problema é que esses bicos de papagaios podem pinçar os nervos igualzinho ao que fazem as hérnias de discos. Com inflamação primeiro e depois dor.

Mas não é só pelo desgaste dos discos que os bicos de papagaio aparecem.

Eles ficam na tentativa de corrigir a instabilidade da coluna, por isso outros fatores contribuem para o aparecimento deles.

Isso independentemente da idade. Outros motivos podem ser:

  • a obesidade
  • má postura
  • falta de exercícios,
  • fraturas e
  • doenças reumáticas entre outros

Diagnóstico de hérnia de disco

4-diagnostico-de-hérnia-de-disco

Geralmente é feito um teste no consultório do médico ou do fisioterapeuta, ele é conhecido como manobra de Valsava.

Essa técnica consiste em pedir ao paciente para fazer esforço como se quisesse evacuar. Essa força realizada aumenta a pressão intratecal (local por onde flui o líquido ao redor da medula espinhal). Caso sinta dor na região da lombar, é sinal de hérnia de disco.

O exame solicitado pelo médico no primeiro momento é o RX, que não mostra se há uma hérnia de disco, mas pode observar as estruturas da coluna e como estão as vértebras, descartando fraturas ou tumores.

Nesse exame o profissional observa o espaço entre uma vértebra e outra além os bicos de papagaio.

A tomografia computadorizada e a ressonância magnética são mais específicas para mostrar a localização da hérnia de disco e qual a sua de gravidade.

Também são solicitados exames de sangue para descartar qualquer doença reumática.

Os tratamentos para hérnia de disco

Deu para ver que uma hérnia de disco não acontece do nada, diferente do que se pensa por aí certo?

Por isso eu digo que algumas pessoas, mesmo sem querer, acabam escolhendo um caminho dolorido para trilhar.

Isso porque raramente correr para as opções mais caras e com mais efeitos colaterais compensam o que nós mesmos temos que fazer.

Até o momento, dois tratamentos são os mais comuns, a fisioterapia e a cirurgia.

Fisoterapia

5-fisioterapia

Atualmente, no caso da hérnia de disco o tratamento conservador é feito com anti-inflamatórios, analgésico e fisioterapia.

Com fisioterapia os resultados são bons, mas o paciente deve ter disciplina e paciência.

Emagrecer caso esteja acima do peso, corrigir a postura e praticar exercícios físicos.

A fisioterapia ajuda no alívio da dor, com o choquinho (TENS). Tanto a coluna cervical como a lombar são ajudadas pela tração, alongamento e fortalecimento dos músculos envolvidos.

Assim que a dor é aliviada, caminhadas leves podem começar, mas sempre acompanhadas de alongamento antes e depois.

A postura na caminhada é muito importante! Sempre contraia o abdome, como se estivesse colando o “umbigo nas costas”, isso mantém a coluna estável e ainda fortalece os músculos.

A fisioterapia aplicada a um paciente que tem hérnia de disco, sempre deve ser feita, porque ela vai devolver o movimento ao paciente.

Tratamento cirúrgico

A cirurgia tradicional de hérnia de disco começa por um corte na pele do paciente.

No caso da coluna lombar o corte é feito pela lateral ou pelas costas, e no caso da coluna cervical o corte é feito na frente, por causa da localização da medula.

A anestesia é geral.

Os cirurgiões retiram uma parte ou até todo o disco que esteja prejudicado. Caso seja necessário retirar todo o disco, pode ser usado um material artificial para substituir o disco retirado.

Há outra cirurgia conhecida como artrodeses ou fusões. Que são fixações realizadas na coluna com parafusos e outros materiais metálicos ou não metálicos, com o objetivo de estabilizar a coluna.

Esse procedimento é cuidadosamente indicado, pois há risco de lesões nos nervos e de infecção.

Por essas e outras razões é que cirurgia acaba sendo muito invasiva e trabalhosa. Por isso é que eu quero te apresentar a endoscopia da coluna.

Endoscopia da coluna

6-endoscopia-da-coluna

Há uma nova técnica cirúrgica para a hérnia de disco que é pouco falada. Ela é conhecida como endoscopia da coluna.

Nessa técnica profissionais especializados infiltram pequenos tubos com câmeras nas pontas, evitando aqueles grandes cortes na pele.

Essa cirurgia precisa apenas de anestesia local e uma sedação para estabilizar o paciente. A duração é de em média 1 hora. Essa cirurgia também é conhecida como cirurgia de hérnia de disco a laser.

Comparando com a cirurgia clássica de hérnia de disco, as principais vantagens são:

  • Não utiliza anestesia geral, apenas anestesia local e sedação;
  • Há a possibilidade de conversar com o paciente durante a cirurgia;
  • Não há limite de idade ou de condições físicas para ser operado;
  • O corte na pele é muito menor;
  • Não há necessidade de descolamento do músculo do osso;
  • Menor sangramento;
  • Menos dor de pós-operatório e recuperação mais rápida;
  • O paciente recebe alta no mesmo dia;
  • O risco de infecção é baixo e o índice de sucesso é alto;

A técnica de cirurgia com endoscopia na coluna é estudada pelos alunos da universidade de São Paulo. É praticada no hospital das Clínicas de

folhas-separação folhas-separação folhas-separação
folhas-separação folhas-separação folhas-separação

Ribeirão Preto e em vários países como China, Estados Unidos e Alemanha.

Os hospitais particulares já realizam essa técnica cirúrgica e alguns convênios já estão autorizando.

Já no SUS (Sistema Único de Saúde), os usuários terão que esperar alguns anos para se beneficiarem dessa técnica.

Em São Paulo o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, ligado à secretaria de Estado da Saúde, já oferece o tratamento com a técnica de endoscopia para coluna lombar.

Na opinião do ortopedista João Paulo Berfamaschi[2], a cirurgia com endoscopia permite que o paciente acompanhe a cirurgia e dê o retorno imediato sobre sintomas, como a ausência de dor, isso permite maior segurança neurológica.

2 maneiras para tratar a hérnia de disco em casa

Com certeza devemos muito aos avanços medicinais. Essa ideia de que você precisa sofrer muito para se curar é passado.

O avanço foi tão grande que hoje nós conhecemos técnicas que tratam as doenças e que vão te ajudar em todos os aspectos da sua saúde e não só tratar um problema separado.

E se você parar para observar, apenas 5% dos casos de hérnia de disco realmente precisam de cirurgia! Por isso, anote aí essas técnicas que vão tratar sua hérnia e mudar sua saúde completamente.

Uma técnica milenar pode ajudar

Você já ouviu falar da reflexologia podal?

Ela existe já a mais de 2.500 a.C, os egípcios a representavam através de pinturas arqueológicas.

Segundo essa técnica o pé tem vários pontos que correspondem a várias partes do corpo inteiro. Não só as plantas dos pés, como a parte interna e externa dele assim como os tornozelos.

Com a massagem os órgãos internos do corpo podem ser estimulados, reflexamente.

Geralmente, nesse ponto da explicação, os pacientes me perguntam sobre os valores! E nesse momento eu posso abrir um sorriso bem largo!

Por quê? Simplesmente porque você mesmo pode começar a aplicar a reflexologia nos seus pés!

Método 1 – Reflexologia para hérnia de disco

Siga o passo a passo aqui embaixo para uma massagem completa em reflexologia!

Passo 1 – Sente-se confortavelmente em uma cadeira com encosto;

Passo 2 – Coloque o pé direito sobre a coxa esquerda;

Passo 3 – Segure um dos pés com as duas mãos, de modo que os dedos polegares fiquem na planta do pé;

Passo 4 – Comece a massagem com o dedão, girando-o três vezes para cada lado e, depois, puxando para cima, como se estivesse separando o dedo do pé;

Passo 5 – Faça a mesma coisa com todos os dedos;

Passo 6 – Vá descendo com o polegar, fazendo pequenos movimentos circulares por toda a planta do pé, começando próximo dos dedos até o calcanhar;

Passo 7 – Passe para a parte interna do pé, que corresponde a coluna vertebral, e faça com pequenos círculos descendo do dedão até o calcanhar, insista com os movimentos circulares onde sentir mais dor;

Passo 8 – Por fim, coloque o pé no chão e sinta a diferença entre o pé que recebeu a massagem e o outro que não recebeu.

Depois que sentir essa diferença sente-se de novo e repita todos os movimentos com o outro pé.

Método 2 – Fortalecimento dos músculos

Os músculos oferecem sustentação e estabilidade para toda a coluna vertebral por isso fortalecer os músculos do pescoço, abdome e dos paravertebrais trata sua hérnia de disco diretamente.

Tem um grupo muscular que é formado por músculos pequenos e profundos, eles ficam entre as vértebras e auxiliam na sustentação das vértebras, são chamados de multífidos.

Fortalecer esses músculos é de grande importância e vou deixar como dica dois exercícios que além de trabalhar outros grupos musculares, fortalecem diretamente os músculos multífidos.

Primeiro exercício:

Passo 1 – Na posição de quatro apoios, ou posição de gato, deixe o abdômen um pouco contraído e a coluna alinhada.

Passo 2 – As mãos ficam apoiadas no chão na largura dos ombros. Os joelhos também devem estar apoiados no chão, mas na largura dos quadris.

Passo 3 – Eleve a perna direita e o braço esquerdo, só que com a palma da mão para cima, isso promoverá uma rotação externa do braço.

Passo 4 – Mantenha essa posição por cinco segundos e repita o movimento com a perna esquerda e o braço direito. Repita alternadamente por 5 vezes.

Segundo exercício:

Passo 1 – Fique de barriga para baixo, com os cotovelos flexionados e a mão na frente dos ombros, como se fosse mesmo se levantar para fazer uma flexão.

Passo 2 – Alinhe a cabeça olhando para o chão.

Passo 3 – Levante só o peito esticando os cotovelos e olhe para a frente e mantendo os pés, pernas e quadril no chão.

Esse exercício pode ser repetido várias vezes ao dia, se sentir dor na coluna é sinal de que a dor está diminuindo ou centralizando.

A autora do livro manual da coluna, Maritza Klein Steffenhagen, explica que se a dor dos pés e da perna começar a diminuir, ficando mais centralizada na coluna, isso significa que a compressão do disco vertebral na raiz nervosa está diminuindo.

Isso é um ótimo sinal! Por esse motivo ela pede que esse exercício seja feito por várias vezes ao dia.

Dica da fisio

Lembre-se: a coluna vertebral é o eixo central do corpo e é por ela que passa a medula espinhal que tem a função de ligar o corpo com o sistema nervoso.

Não descuide de sua coluna vertebral, cuide de sua postura, alongue-se e fortaleça todos os grupos musculares, você vai sentir a diferença.

Com essas duas técnicas a sua saúde vai mudar completamente! Se tiver alguma dúvida sobre essa matéria é só me dizer e eu vou responder rapidamente!

Cuide – se com carinho!

Paulo-Santos
Dra. Iracema Barbosa

Muito prazer sou a dra. Iracema, fisioterapeuta especializada em gerontologia.
Acredito que o futuro é construído no presente e o nosso futuro vai chegar através do conhecimento aplicado para melhorar a qualidade de vida.
Amo cuidar das pessoas mas meu sonho é ir além do cuidado e te ensinar como se prevenir para viver uma vida saudável e feliz!