Os sintomas da diabetes atingem 12,5 milhões de brasileiros. Nessa matéria eu vou te contar quais são esses sintomas e quando é que você precisa começar a se preocupar com eles.

Se você está na dúvida sobre esse assunto continue lendo porque esse conteúdo é para você!

O número de pessoas com sintomas da diabetes aumenta no mundo inteiro anualmente. Os pesquisadores do IDF International Diabetes Federation (Federação Internacional da Diabetes) chegaram à estimativa de 463 milhões de adultos com a doença no mundo.

Para quem lida diariamente com a diabetes e sabe das dificuldades que enfrenta, esse número é assustador.

O que mais preocupa a nós profissionais da saúde é que grande parte desse número de pessoas só descobre a doença quando o sofrimento das complicações está gigantesco.

Em uma matéria passada expliquei profundamente sobre essas complicações, se quiser, clique aqui para ler.

Mas afinal, quando é que alguém com os sintomas da diabetes precisa se preocupar?

Os 3 P’s entre os sintomas da diabetes

Antes de mais nada saiba, a diabetes costuma ser silenciosa e pode apresentar sinais quase invisíveis, o que dificulta muito o diagnóstico no começo.

Até porque, com a velocidade em que vivemos e ocupados como somos, é difícil parar para respirar fundo e observar o que está acontecendo.

Apesar de todo esse alvoroço o corpo continua “aguentando o tranco” mesmo que a gente não consiga dar atenção para os sintomas da diabetes.

O ponto onde eu quero chegar é a observação. Cuidar de você mesmo é uma tarefa que só você mesmo pode fazer. E se pensar “ok, isso é novo, o que será?” então está na hora de agir.

Esses alertas que o organismo faz, no começo de um caso da diabetes, podem ser os 3 P’s que são sintomas mais comuns, mas com certeza, já são uma dica.

Esses três P’s são de poliúria, polidipsia e polifagia. Que nomezinhos complicados, não é? Mas eu te explico para já o que é isso!

Poliúria ou grande vontade de fazer xixi

O seu cérebro percebe que tem muita glicose circulando na corrente sanguínea, esse açúcar todo muda a consistência do sangue e o cérebro entende que é preciso fazer alguma coisa sobre isso.

“Não dá para deixar essa glicose toda correndo pelo sangue, preciso jogar ela fora de algum jeito”.

Para solucionar o problema, o cérebro envia uma mensagem para os rins que por sua vez fazem o trabalho de tentar filtrar todo esse açúcar para fora do seu corpo.

Dê uma olhadinha nesse vídeo que nossa esquipe fez para explicar esse fenômeno!

Polidipsia ou muita sede

Homem bebendo água com muita sede por polidipsia.
Polidipsia é um sintoma da diabetes que significa grande aumento na sede!

Nesse estado seu corpo começa a ficar desidratado.

Era de se esperar, afinal você está fazendo uma quantidade absurda de urina. Para repor essa falta de líquido seu corpo pede por água quase desesperadamente.

Mas veja bem, não se preocupe à toa!

Essa vontade de beber água é muito grande mesmo. Eu estou falando de muita água, uma sede que continua durante a noite e a madrugada.

É nesse sintoma que um ciclo vicioso começa.

Porque você sente sede porque está fazendo bastante xixi e faz mais xixi ainda porque está bebendo água demais.

Polifagia ou aumento da fome

Homem comendo comida gordurosa, hambúrguer, batata frita e ketchup.
Polifagia é um sintoma da diabetes que significa grande aumento na fome!

O principal entre os sintomas da diabetes é a hiperglicemia (fiz uma matéria falando sobre ela aqui no site).

Isso é, níveis muito altos de açúcar circulando pela corrente sanguínea ao invés de estar dentro das células nos dando energia.

Como o açúcar vai parar no “lugar errado”, seu corpo fica pedindo ao cérebro por mais e mais energia, porque ele não está recebendo o que precisa.

Bem se sabe que a comida é a principal fonte de energia para o organismo.

Isso significa que mesmo com muito açúcar no corpo, o cérebro entende que precisa de mais e mais comida porque as células estão sem energia.

Com sintomas da diabetes, você também pode sentir

  • Visão embaçada

A diabetes é uma doença que compromete bastante a saúde vascular. A saúde vascular responde por toda a circulação do sangue.

Como eu disse antes, o açúcar em excesso fica solto pelo sangue do diabético, passando pelas diversas veias e capilares no corpo todo.

Para quem não sabe os capilares são aqueles “veias” extremamente finas, tão finas quanto fios de cabelo.  Por isso no nome “veia capilar”.

Uma das regiões com mais veias capilares no nosso corpo são

folhas-separação folhas-separação folhas-separação
folhas-separação folhas-separação folhas-separação

os olhos. O açúcar solto na corrente sanguínea se acumula na região dos olhos, e deixa a visão mais embaçada.

Inclusive esse sintoma pode se transformar em uma complicação chamada retinopatia diabética. Eu também escrevi uma matéria sobre isso, dê uma olhadinha.

  • Perda de peso

A perda de peso é um dos sintomas da diabetes que acontecem porque como a glicose não está entrando nas células. Com isso o corpo começa a usar qualquer estoque de energia que esteja disponível.

Por isso a perda rápida de peso.

A boa notícia é que a diabetes, principalmente a tipo 2, melhora bastante quando os riscos são controlados. Riscos como a hiperglicemia.

Quando você estiver longe do perigo, os sintomas tendem a diminuir ou até sumir.

O que faz uma pessoa ser diabética?

Quero te lembrar de que a diabetes é uma doença que acontece por vários motivos.

Segundo as pesquisas a maioria da população diabética mundial é do tipo 2. Maioria essa de 90% para ser exata.

Mas afinal, o que acontece para uma pessoa se tornar diabética? Porque essa é uma doença tão comum?

Toda doença tem uma causa. Ela pode ser por contaminação, por traumas, enfim, por diversos motivos.

No caso da diabetes a maioria dessas razões estão diretamente ligadas ao nosso estilo de vida.

Cada vez mais pesquisas são feitas para provar a ideia de cura para diabetes.

Uma vez que seu estilo de vida (rotina de exercícios, alimentação, acompanhamento médico) é mudado o seu quadro pode ser revertido.

A diferença dessa para outras doenças é que a resposta não pode ser só a medicação. Porque ela não vai curar a doença, ela vai tratar somente os sintomas.

Sendo assim, coloquei aqui embaixo as situações que podem tornar uma pessoa diabética.

Fatores de risco da diabetes

Homem apertando as gorduras da barriga.
A obesidade é um fator de risco diretamente ligado á diabetes
  • Obesidade e obesidade visceral

Essas são personagens principais para que a diabetes aconteça. Como já escrevemos aqui no blog, a diabetes e o peso corporal tem muita ligação. Clique aqui para ler!

Para quem não sabe o que é a obesidade visceral eu garanto, não é nada muito complicado. A obesidade visceral como o nome mesmo diz acontece nas vísceras, na região da barriga.

Tanto na obesidade como na obesidade visceral o que acontece é uma grande inflamação. Com essa inflamação o corpo perde sensibilidade para a insulina.

  • Sedentarismo

Pois é, nós médicos estamos sempre falando. Raramente nos escutam infelizmente.

Mas fazer exercícios pode chegar a ser a diferença entre saúde e doença. Principalmente na diabetes.

Quando uma pessoa faz exercícios físicos 3x por semana e durante trinta minutos, já consideramos como alguém que faz exercícios regulares.

E para você diabético essa rotina já é fundamental para aumentar a sensibilidade a insulina e manter sua glicemia controlada.

Além disso, praticar atividades físicas também diminui a pressão arterial e previne doenças cardiovasculares.

  • Má alimentação

Eu bato muito nessa tecla!

A alimentação pode mudar sua vida! O jeito como você come pode prevenir e até tratar doenças.

Do mesmo jeito que é uma solução, sua alimentação pode ser um problema. Para tomar as rédeas da sua saúde você precisa abrir muito bem os olhos para ver o que você está comendo.

Acompanhe a categoria de nutrição aqui no blog!

Um perigo conhecido na alimentação são os carboidratos

Troque os carboidratos simples pelos integrais, por exemplo: pão branco por pão integral, arroz branco por arroz integral e por aí vai.

Evite colocar na mesma refeição vários alimentos contendo carboidrato como: arroz, macarrão e farofa. Essa combinação faz o índice glicêmico da refeição subir bastante.

Já falamos aqui da dieta com contagem de carboidratos, que pode ajudar bastante a controlar a quantidade de carboidratos que você pode comer no dia.

  • Genética

Ter um parente diabético é motivo para ficar atento, principalmente se for pai e/ou mãe. Neste caso as chances de desenvolver diabetes são grandes.

E você tem que somar os fatores de risco. Se você está comendo mal, se é sedentário e está com sobrepeso o risco já é colossal.

Se junto disso você ainda costuma fumar e beber álcool está no momento de parar e pensar. As consequências das nossas atitudes afetam a nós e nossa família.

O poder das plantas contra os sintomas da diabetes

O futuro é agora! E as novas formas para cuidar da sua saúde e do seu corpo são na maioria das vezes, naturais.

Os tratamentos fitoterápicos estão ganhando as massas justamente por serem uma opção natural.

A fitoterapia é uma modalidade de tratamento que estuda plantas medicinais para curar e tratar doenças.

Um modo que todo médico conhece, mas acaba deixando de lado, por causa da cultura dos remédios que está tão enraizada, .

Algumas das milhares de plantas que fazem parte da nossa flora são estudadas de forma profunda. E vou deixar meu conhecimento sobre as principais.

Leia e sugira para seu médico. Mas nunca tome remédios mesmo que fitoterápicos sem conversar com seu médico.

Os dois chás que tratam os sintomas da diabetes

  • Pata de vaca

Uma plantinha nativa aqui do sudeste do Brasil.

Inclusive, o Ministério da Saúde a reconhece por seus efeitos na redução dos níveis de açúcar no sangue e na urina.

Segundo uma publicação da revista científica FAEMA agora em 2018, o chá de pata de vaca é muito eficiente para tratar a hiperglicemia, além de manter a saúde dos rins.

  • Jambolão

Ainda segundo a revista, essa é outra planta que ajuda e muito!

O Jambolão é uma árvore que chega até 10 metros de altura e que também encontramos aqui no Brasil. Mas a origem dela é indiana.

Além de diminuir os níveis de açúcar no sangue ela também é um poderoso antioxidante.

Minha colega de pesquisas a fisioterapeuta Iracema fez uma matéria recente para explicar como acontece o perigoso estresse oxidativo vale a pena conferir.

Essas duas plantas já são bastante conhecidas por ajudarem a diminuir os níveis de glicose no sangue, mas a cada dia os pesquisadores fazem mais estudos para entender melhor os mecanismos de ação delas.

Tudo para que a vida do diabético melhore cada vez mais.

A fitoterapia no SUS

O Ministério da Saúde tem um programa especial para a fitoterapia, que se chama Política e Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos.

Esse programa busca garantir acesso seguro e consciente do uso de plantas medicinais.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, 2160 unidades básicas de saúde disponibilizam fitoterápicos ou plantas para os pacientes.

Super bacana, não é?!

Se você tem interesse em tratamentos mais naturais, pergunte se a UBS mais próxima da sua casa participa desse programa.

Passo a passo para ficar legal

Bom, como eu já disse. A diabetes é uma doença que acontece por vários motivos que estão quase sempre ligados ao jeito como você leva a vida.

Do mesmo modo, você avança no caminho para a cura da diabetes quando muda sua vida de várias maneiras.

Por isso, como se estivéssemos em uma reunião dos alcoólicos anônimos, fiz uma lista de doze passos, para que você mude já sua rotina e se sinta mudado!

E eu espero de verdade que você os siga, eles podem fazer a diferença na sua vida.

Quero finalizar essa matéria com a belíssima oração da serenidade dos alcoólicos anônimos.

Não se sinta ofendido porque eu estou usando essa oração para uma matéria sobre diabetes. Raramente admitimos quando algo nos faz mal. E essa é uma das crenças desse programa.

Eu acredito que com coragem e sabedoria, você pode tomar as atitudes para uma vida com alimentação saudável, atividades físicas regulares e as medidas perfeitas para melhorar sua saúde.

“Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguir umas das outras”.

Um forte abraço e cuide-se bem! Me conte o que mais você gostaria de saber sobre diabetes!

Paulo-Santos
Dra. Tainá da S. B. Manzatto

Sou a Tainá, nutricionista formada pelo CEUNSP e pós-graduada na área clínica.
Agora minhas buscas por conhecimento me trouxeram para a Austrália, onde continuo me dedicando a minha paixão por alimentação, saúde e tudo que permeia nossa relação com a comida. A escrita é um amor antigo que me acompanha desde sempre e poder unir as duas coisas é incrível.
Também bailarina clássica, amante de viagens, livros, comida, bom papo e café. Vai ser um prazer dividir conhecimento com vocês!

Comentar com Facebook
Fechar Menu