Síndrome da fibromialgia! Saiba o que a suplementação com vitaminas pode fazer por você hoje.

Síndrome da fibromialgia! Saiba o que a suplementação com vitaminas pode fazer por você hoje.

Nessa matéria nosso assunto é a fibromialgia, poucos sabem mas 5% dos pacientes que se consultam no clínico geral sofrem com esse estado de saúde.

“Parece que um caminhão passou por cima de mim.” Você já falou algo assim para alguém

Então essa matéria é para você!

O que é a fibromialgia?

Antes de tudo tenha em mente, a fibromialgia não é uma doença, é um estado de saúde!

Para simplificar posso dizer que ela é um grupo de vários sintomas que eu já vou comentar e que acontecem na maioria dos casos por fatores hereditários.

Essa caraterística é importante para você entender o que seria uma síndrome. Que é justamente um conjunto de sinais que não tem uma causa específica.

E isso acontece no caso da fibromialgia, que pode ser descrita um grupo de vários sintomas e que tem razões desconhecidas por nós médicos, pesquisadores e cientistas.

Quais são os sintomas da fibromialgia?

A síndrome de Fibromialgia é um conjunto de sintomas crônicos. Dentro desses os mais comuns são:

  • Dores em vários músculos;
  • Depressão;
  • Rigidez matinal (quando você acorda com certa dificuldade de esticar partes do seu corpo);
  • E qualidade de sono ruim: pacientes dormem pouco ou acordam cansados mesmo dormindo a noite toda, além de estarem sempre cansados.

Pacientes com esses sintomas sentem dor em várias partes do corpo. Assim é que as queixas como a de que “Um caminhão passou por cima de mim!” ficam insistentes.

A dor é com certeza o principal sintoma, mas além dela a ansiedade, as alterações de humor e a irritação, são reclamações que envolvem 30 a 50% dos pacientes.

Porém outros sintomas são menos comuns como:

  • Dor de cabeça (cefaleia), tonturas e zumbido;
  • Sensação de inchaço, particularmente nas mãos, antebraço e na região superior das costas;
  • Dor no tórax e no abdome;
  • Palpitação;
  • Problemas intestinais (diarreia e/ou constipação);
  • Dificuldade de concentração e falta de memória.

O grupo com maior risco de sofrer com esses sintomas são as mulheres. 9 mulheres para um homem pra ser exata, que tenham idade a partir de 30 até os 50 anos.

Pode acontecer de você se deparar com a fibromialgia depois de passar por um trauma físico ou emocional, eu já te explico porquê.

Como acontece o diagnóstico de fibromialgia?

O American College of Reumatology (Colégio Americano de Reumatologia) criou os critérios usados para descobrir se alguém sofre com essa síndrome.

Esses critérios são usados até hoje. O que acontece é o seguinte, quando um paciente tem essa síndrome sente dores fortes que insistem em 18 pontos do copo.

O nome que se dá para eles é “pontos dolorosos” ou “tender points” em inglês.

Antes de acessar esses pontos o médico faz exames de laboratório para descartar doenças com sintomas parecidos.

Então para o exame específico o doutor fará pressão nos pontos dolorosos e tentará medir a tolerância de dor.

Os "pontos dolorosos" da fibromialgia estão:
Na parte da frente e de trás do pescoço;
Na parte de trás dos ombros;
Na parte superior do peito;
Nos cotovelos;
Na parte superior das nádegas.
No quadril;

Como a fibromialgia acontece?

Bem, apesar de ser uma situação super frequente as pessoas não entendem muito bem o que acontece com o corpo de alguém com fibromialgia.

Principalmente porque o diagnóstico dessa síndrome não é tão fácil quanto o de doenças que tem sintomas parecidos, como a artrite por exemplo.

A doutora Amélia Marque fez uma tese para a USP (Universidade de São Paulo) em que ela descobre que o não sangue circula normalmente pelas partes onde os pacientes com fibromialgia sentem dor.

Você provavelmente nunca imaginou que a circulação pode estar ligada com as dores musculares, certo? É o que a dra Amelia comenta na sua tese.

O sangue serve para levar nutrientes paa todo nosso corpo inclusive para o músculos. Além disso ele é quem faz a conversa entre os hormônios e o cérebro acontecer.

Um exemplo disso é quando você acorda mal humorado, isso acontece porque o hormônio do cortisol diz para o cérebro que você precisa acordar!

Muito mais que isso! O “botãozinho” do cortisol liga quando vivemos situações de estresse. O que faz com que o nosso cérebro comece a responder mensagens desse hormônio

O que acontece com quem tem fibromialgia é que como o sangue não circula direito nos locais da dor, ele não facilita a conversa entre hormônios e nutrientes com o cérebro e assim, entende que a dor é maior do que do que deveria ser.

Pra simplificar eu diria que é tudo um problema de comunicação!

Mas o que causa a fibromialgia?

Infelizmente ainda não se sabe ao certo o que causa a síndrome da fibromialgia.

No livro A Ciência da Dor, o dr. Pedro Ming Azevedo, escreve que:

 ”Parentes de fribromiálgicos têm uma probabilidade maior de desenvolver fibromialgia do que a população geral”.

Em resumo 50%  dos casos são “culpa” da genética.

O Dr. Lair Ribeiro que é cardiologista, nutrólogo e escritor de vários livros, foi entrevistado sobre o assunto e afirmou que a fibromialgia pode estar ligada ao hipotireoidismo (quando a tiroide não libera hormônio suficiente para a corrente sanguínea).

Pra quem não sabe a tiroide é uma glândula com o formato de borboleta, que libera hormônios para regular alguns processos organismo como os que listo aqui:

  • Temperatura do corpo
  • Batimentos cardíacos
  • Equilíbrio do peso
  • Memória
  • Funcionamento dos intestinos
  • E níveis de colesterol entre outros.

Quando a tiroide não funciona como deve nosso humor é alterado o que leva aos sintomas de depressão que  comentei mais em cima.

Seguindo essa linha de pensamento os pacientes com fibromialgia sofrem diminuição da serotonina, mais conhecida como o hormônio da felicidade. Ela atua no cérebro e regula o humor, o sono, o apetite, o ritmo cardíaco, a temperatura corporal, a sensibilidade a dor, os movimentos e as funções intelectuais.

As mulheres produzem menor quantidade de serotonina. Isso justifica o número maior de mulheres nas pesquisas. O hormônio da serotonina também está ligado a percepção da dor.

Qual é o melhor tratamento para fibromialgia?

O tratamento dessa síndrome tem como objetivo diminuir aquele pontos dolorosos e os outros sintomas que o paciente esteja sentindo.

Quem já foi diagnosticado com a fibromialgia talvez esteja se perguntando como tratar a situação.

O brasileiro é conhecido internacionalmente como o campeão da automedicação. Ou seja, somos acostumados a tomar medicação por conta própria, sem orientação do médico.

É muito comum que quando adoeça o brasileiro prefira tomar um remédio para se curar. Mas a medicina tem evoluído nesse sentido.

Justamente porque além de “curar” os remédios nos fazem sentir vários efeitos colaterais e até a dependência.

Porém como fisioterapeuta, durante minhas pesquisas, me deparei com diversos tratamentos que não usam os remédios como principal meio para a cura, e focar neles tem sido minha

folhas-separação folhas-separação folhas-separação
folhas-separação folhas-separação folhas-separação

motivação para ir cada vez mais fundo nas pesquisas científicas.

Até porque, com o tratamento tradicional alguns pacientes não mostram melhora e, de um jeito ou de outro, procurando terapias alternativas para encontrar um alivio dos sintomas.

Os novos caminhos da suplementação vitamínica!

Pílulas amarelas com transparência.
A suplementação vitamínica oferece diversos benefícios durante a dor.

Existe um claro desequilíbrio no organismo de uma pessoa diagnosticada com fibromialgia, por isso é que ela entra em um estado de doença.

Por isso me perguntei: Será que se esse paciente pode melhorar se receber o que falta pra o corpo voltar a funcionar?

Mas o que é que falta?

Eu procurei por respostas para essa pergunta e fui iluminada pelo conhecimento do Dr Ray D. Strand no livro que ele escreveu com um título marcante:

O que seu médico não sabe sobre medicina nutricional pode estar matando você”. Acredite ou não, essa frase potente é realmente o nome do livro.

Dr. Ray Strand é um médico especialista em reumatologia.  Ele teve um encontro com o assunto que estamos falando hoje quando antes de seu casamento, sua esposa sofria com os sintomas da fibromialgia.

Ela demorou algum tempo para ser diagnosticada e o tratamento com remédios não mostrava resultado nenhum, o que a deixava mais e mais debilitada.

Em um certo momento sugeriram o tratamento com suplementação de vitaminas, ele tinha tão pouca fé no tratamento que costumava dizer “compre a mais barata!”

Eu não critico a pouca fé do dr Stand. Nós passamos de pai para filho a cultura dos remédios, é o nosso lugar confortável.

Para a surpresa do doutor a para aumentar nosso conhecimento a esposa dele aceitou a sugestão e se tratou com o suplemento e em apenas 3 meses sentiu melhora de uma situação que já era desesperadora.

Com isso o doutor começou suas pesquisas e ofereceu esse novo tratamento aos seus pacientes com fibromialgia e outras doenças crônicas. Em todos os casos viu melhoras importantes.

A suplementação vitamínica faz parte da medicina nutricional que oferece ao seu corpo o que ele precisa para se reparar com nutrientes melhorados para o organismo.

Entre outras coisas o dr Ray acredita que as causas das doenças estão ligadas ao estresse oxidativo. Isso é importante, eu já te explico o que é isso.

Uma explicação do Dr. Strand sobre o estresse oxidativo!

Imagine assim, dentro de cada célula existe uma lareira sempre acesa chamada mitocôndria.

A mitocôndria faz o trabalho de gerar energia para nosso organismo, e esse processo dá certo em 98% das vezes.

Quando não dá certo esse processo gera os radicais livres. Vamos pensar no radical livre como as cinzas que a lareira mitocôndria produz.

Certo, agora, imagine que um tapete foi colocado na frente da lareira, vamos usar esse tapete para mostrar o que acontece no nosso corpo quando estamos com radicais livres em excesso.

Quando o fogo da lareira solta brasas e faíscas é normal que algumas cinzas caiam sobre o tapete fazendo com que ele fique com pequenos buracos por causa das queimaduras.

Se isso acontece de vez em quando, tudo bem. Mas com o passar do tempo o tapete vai ficar despedaçado pelos buracos de queimadura. Esse é o efeito dos radicais livres no nosso corpo.

Isso é o que acontece no nosso organismo durante o estresse oxidativo. A lareira são as mitocôndrias que liberam as cinzas que são os radicais livres e o tapete é o nosso corpo.

O corpo tem como se defender dos radicais livres com os famosos antioxidantes. Eles funcionam como grades que ficam na frente dessa nossa lareira imaginária.

As cinzas (radicais livres) continuam a voar, mas o tapete (nosso corpo) fica protegido.

O nosso organismo tem um pequeno batalhão de antioxidantes que fazem esse trabalho de defesa naturalmente, mas infelizmente nossa reserva não produz o suficiente para nos proteger completamente.

Por isso a maior parte dos antioxidantes que nosso organismo usa para se defender vem da nossa alimentação.

Através de uma alimentação saudável e da suplementação podemos obter os antioxidantes, como a vitamina C, a vitamina E, a vitamina A e o betacaroteno que vem das frutas e vegetais.

As mazelas da vida moderna aumentam o “fogo da lareira”, produzindo mais cinzas e fazendo com que as grades (antioxidantes) não consigam proteger o tapete (o corpo).

Sem falar dos da quantidade absurda de agrotóxicos que comemos na maioria das vezes que pensamos estar comendo de forma saudável.

Portanto eu pergunto, será mesmo que comer alimentos saudáveis como frutas, legumes e proteínas é o suficiente pra proteger nosso corpo?

Como resposta a essa pergunta cada vez mais profissionais da saúde como eu e o doutor Strand defendem a suplementação nutricional para acompanhar as boas práticas como alimentação saudável e atividade física orientada pra combater as dores e trazer resultados positivos.

Aqui no Brasil o Dr. Lair Ribeiro foi o pioneiro em medicina nutricional. Hoje atua na formação de médicos na área de especialização em Nutrologia e possui muitos vídeos sobre saúde.

No vídeo aqui embaixo o Dr. Lair fala da suplementação do Magnésio para aliviar as dores e a fadiga, que são sintomas da fibromialgia.

Uma curiosidade é que esse componente participa dentro da célula na produção de energia. Segundo os habitante de países que não tem vulcão, possuem deficiência de magnésio, pois o vulcão libera o magnésio no ar .

Além dessas informações valiosíssimas o doutor comenta que a falta de vitamina D3 e o hipotireoidismo podem causar os sintomas da fibromialgia.

Dica da Fisio

Há uma luz para o fibromiálgico e ela se chama suplementação vitamínica!

Então se você acredita que está passando por essa situação converse com um nutricionista ou com um nutrólogo, esses profissionais vão te ajudar a iluminar seu caminho até a cura.

De qualquer modo existem pequenas atitudes que você pode tomar agora e que vão fazer a diferença na sua vida e vou deixa-las aqui pra que você comece já!

  • Alonge-se!

Fazer alongamentos todos os dias aumentam a flexibilidade do músculo e diminuem as dores. Inclusive fizemos uma matéria aqui no blog com algumas posturas de yoga que vão te ajudar a alongar sua coluna, vale a pena conferir!

  • Receba massagens

A massagem que traz relaxamento muscular e aumenta a quantidade de sangue circulando.

  • Medite

A meditação pode a auxiliar no controle do estresse, lembrando que o paciente com Síndrome de Fibromialgia tem maior dificuldade em lidar com as dificuldades que a vida muitas vezes nos apresenta.

Gostou da matéria de hoje? Eu espero que sim! Se você conhece alguém que foi diagnosticado com fibromialgia ou já ouviu falar de suplementação vitamínica, me conte aqui nos comentários, eu vou adorar ouvir!

Paulo-Santos
Dra. Iracema Barbosa

Muito prazer sou a dra. Iracema, fisioterapeuta especializada em gerontologia.
Acredito que o futuro é construído no presente e o nosso futuro vai chegar através do conhecimento aplicado para melhorar a qualidade de vida.
Amo cuidar das pessoas mas meu sonho é ir além do cuidado e te ensinar como se prevenir para viver uma vida saudável e feliz!